Abu Bakhr Al-Baghdadi em vídeo divulgado no dia 29 de abril de 2019 — Foto: AFP/Al-Furqan

O chefe do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, foi alvo de uma operação militar dos EUA na Síria, de acordo com um alto oficial de defesa norte-americano.

Segundo a agência Reuters, dois oficiais iraquianos informaram que al-Baghdadi, um dos terroristas mais procurados do mundo, foi morto na ação realizada no sábado (26).

A rede CNN noticiou nas primeiras horas deste domingo (27) que a confirmação oficial sobre a morte do líder do grupo extremista depende de exames de DNA e biometria, que já foram realizados.

Foram encontrados corpos de outros três homens e três mulheres no local, também segundo a Reuters.

A TV ABC citou um funcionário do governo americano e afirmou que al-Baghdadi se suicidou ao explodir um colete com explosivos.

Mais cedo, o presidente norte-americano Donald Trump fez uma postagem misteriosa no Twitter em que escreveu, sem dar explicações, que “algo muito grande acabou de acontecer”.

Logo depois, o porta-voz da Casa Branca, Hogan Gidley, anunciou que Trump fará uma “declaração importante” na manhã deste domingo, possivelmente sobre esta operação.

O site da revista “Newsweek” informou que a operação contra al-Baghdadi ocorreu na província de Idlib, no noroeste da Síria, e foi realizada por forças de operações especiais com informações da CIA, a Agência de Inteligência Americana.

O líder da organização jihadista apareceu pela 1ª vez em 5 anos, em abril deste ano, em um vídeo de propaganda transmitido pelo Estado Islâmico.

Do G1