Sábado, 23 de novembro de 2019. Data em que todas as gerações vivas de torcedores do Flamengo podem se olhar com o mesmo sentimento. Os rubro-negros de 40 e poucos anos ou mais novos, que não tinham nascido ainda em 1981 ou que eram pequenos demais na época, cresceram ouvindo as façanhas daquele time mágico de Zico e companhia. Narrativas que soavam mais como ficção do que realidade para quem não “viu com os próprios olhos”. A veracidade de uma história, por mais “baseada em fatos reais” que seja, só ganha contornos lúdicos na vivência. E hoje, eles podem dizer: “Pai, agora eu sei como é”.

Depois de décadas na fila, amargando decepções fora das fronteiras brasileiras enquanto flertava com o perigo em campeonatos nacionais, um novo futebol que encanta foi coroado nesta noite no Estádio Monumental de Lima, no Peru. O Flamengo de Jorge Jesus, Gabigol, Bruno Henrique, Arrascaeta & Cia. venceu o forte River Plate em uma final histórica, a primeira Libertadores decidida em jogo único e campo neutro. 2 a 1, de virada, com dois gols de Gabigol “para inglês ver”. E por falar em Inglaterra, Liverpool, Mundial… seria sonhar demais colocar os ingleses na roda de novo?

Como canta a torcida, o Flamengo terá a chance de conquistar o mundo de novo. O título deu a classificação para o Mundial de Clubes, que esse ano acontece entre os dias 11 e 21 de dezembro em Doha, no Catar. O Rubro-Negro estreia no dia 17, uma terça-feira, contra o campeão da Ásia ou o Espérance, da Tunísia, no Estádio Khalifa (CLIQUE AQUI E VEJA A TABELA).

Com Globo Esporte