Livânia deu detalhes do suposto esquema.

O dinheiro de ‘Caixa 2’ usado nas campanhas eleitorais na Paraíba chegava ao Estado em aviões e era trazido, em alguns dos casos, pelo ex-secretário executivo do Turismo, Ivan Burity. As revelações fazem parte de um dos trechos da delação premiada da ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias. Ela relata que em algumas situações o dinheiro chegava a ser escoltado por um coronel da Polícia Militar e o hangar do Governo do Estado era utilizado.

Livânia diz que os recursos para as campanhas de 2012 e 2014 foram obtidos junto a empresas e organizações sociais, a exemplo da Cruz Vermelha. O dinheiro era enviado ao Estado em aeronaves fretadas. Em um dos casos, Ivan Burity teria transportado R$ 1 milhão do Rio de Janeiro para a Paraíba, montante que seria usado na campanha de 2012. Os recursos foram conseguidos com Daniel Gomes, da Cruz vermelha, investigado na Operação Calvário. 

“Em 2014 ocorreu uma outra viagem, em que ele (Ivan Burity) chegou também novamente lá para o hangar do Estado. Coronel Chaves estava lá junto com Bernardo. Vinha mais de R$ 1 milhão com esse valor e esse dinheiro foi levado à casa de Bernardo. E esse dinheiro ele foi gasto na campanha de 2014”, afirmou Livânia. O coronel Chaves, a quem a ex-secretária de Administração se refere, seria o coronel Fernando Chaves, que foi secretário-chefe da Casa Militar da Paraíba e faleceu em um acidente de trânsito em agosto de 2014. Na delação Livânia não deixa claro se ele tinha conhecimento, ou não, da origem do dinheiro.

Confira o vídeo:

ManchetePB com Jornal da Paraíba