A Paraíba registrou nesta quinta-feira (26) o sexto caso confirmado de coronavírus, causador da Covid-19. Trata-se de um homem de 34 anos, residente em João Pessoa. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o paciente segue em isolamento domiciliar, sendo acompanhado pela vigilância municipal.

Outros dois casos confirmados se referem a uma mulher de 55 anos, residente em João Pessoa, com histórico de contato com caso em investigação. Ela segue em isolamento domiciliar acompanhada pela vigilância municipal da Capital; também a uma mulher, de 45 anos, residente em João Pessoa, com histórico de contato com caso em investigação. Ela também segue em isolamento domiciliar, acompanhada pela vigilância municipal. Outras três pessoas que tiveram confirmação para a doença já estão curadas.

Até as 17h desta quinta (26), a Paraíba possuía 33 pacientes internados, sendo 21 em leitos de internação regular (nos municípios de Cajazeiras, Campina Grande e João Pessoa) e um deles com diagnóstico laboratorial confirmado para Covid-19; 12 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (nos municípios de Sousa, Patos, Cajazeiras, Piancó e João Pessoa), seis destes pacientes graves estão em hospitais privados na Capital.

Três mortes são investigadas e podem ter sido provocadas pelo novo coronavírus, entre elas a de uma criança de 10 anosTrês mortes que eram suspeitas já foram descartadas.

Em todo o Brasil, são quase 3 mil casos confirmados e 77 mortes, em todas as regiões do país.

Samu e Bombeiros não devem ser acionados para sintomas leves

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros não devem ser acionados para casos suspeitos de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, com sintomas leves. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) disponibiliza telefones exclusivos para atender suspeitas de Covid-19.

Para as pessoas com tosse, coriza, espirros, febre e leve indisposição para as atividades de rotina, a recomendação é que elas devem permanecer em casa, até a melhora do quadro clínico (máximo de 14 dias), podendo utilizar-se dos telefones disponibilizados para obterem informações adicionais. Os números são: 99146-9790/99146-9250/99147-0810.

“A SES reforça que o hospital deve ser buscado apenas nos casos em que pacientes apresentem sintomas graves como falta de ar e febre persistente por três dias”, disse a Secretaria, que vem repetindo essa informação constantemente para que a população se mantenha alerta quanto ao que fazer caso precise de ajuda.

Para se prevenir contra a doença, algumas atitudes precisam ser tomadas:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão;
  • Usar álcool em gel (caso não consiga lavar as mãos);
  • Evite tocar nos olhos, nariz e boca;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados frequentemente.

Lacen-PB não é posto de coleta

Conforme a SES, o Labortário Central (Lacen-PB) não é posto de coleta, ele apenas analisa as amostras que são coletadas em pacientes com sintomas graves, atendidos na rede de saúde do estado.

Onde ter atendimento na Paraíba

A recomendação da Secretaria Estadual de Saúde (SES), em casos suspeitos da doença, com agravamento de sintomas, é que os pacientes se dirijam a qualquer unidade de saúde do estado, mas se houver confirmação da doença Covid-19, em João Pessoa, o Hospital de Doenças Infecto-Contagiosas Clementino Fraga e o Hospital Universitário Lauro Wanderley são especializados. Já em Campina Grande, o Hospital Dom Pedro I estará recebendo essas demandas, além de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Segundo a Secretaria de Saúde da Paraíba, o estado tem 205 hospitais, públicos e privados, com mais de 8 mil leitos instalados, além dos 600 de UTIs. Mais de 6 mil leitos são do SUS.

A SES trabalha em um plano de contingência organizado em oito ondas, cada uma com 30 leitos de isolamento e 10 de UTI. À medida que forem surgindo novos casos, esse número vai aumentando. “Lembramos que pacientes com coronavírus precisam ser tratados em centros de referência, mas afirmamos que todas as unidades hospitalares estão preparadas para receber pacientes”, disse o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros.

 

 

Do Portal Correio