O Monitor de Secas da Agência Nacional de Águas (ANA) aponta que a Paraíba teve um aumento da área com seca, que passou a abranger todo o território paraibano, entre novembro e dezembro de 2019. Conforme o levantamento, o estado teve um aumento da severidade da condição de seca grave entre a região da Borborema e Agreste paraibano.

No litoral também houve a expansão da área de seca fraca. A pesquisa aponta que os impactos são de curto prazo na faixa leste e de curto e longo prazo nas demais áreas do interior paraibano.

O levantamento registrou também que o registro de chuvas ficou abaixo da média histórica na região oeste da Paraíba. Conforme dados da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), João Pessoa foi a cidade que registrou o maior volume de chuvas durante todo o ano de 2019 no estado.

O levantamento indica que entre janeiro e dezembro do ano passado as chuvas na capital do estado somaram cerca de 2.117,9 mm, na estação de monitoramento DFAARA. O município tem outras três estações de monitoramento. Entre elas, estão a Mares que registrou 1735,1 mm; CEDRES, com 1.704,4 mm e Mangabeira, com 942,9 mm.

A cidade com o segundo maior volume de chuvas no ano de 2019 foi Alhandra com 2041,3 mm; seguida de Rio Tinto, com 1762,0 mm, que apresentou o terceiro maior volume de chuvas no estado. Todas elas estão localizadas no Litoral da Paraíba.

Paraíba começa 2020 com um açude sangrando e 33 em situação crítica
Um levantamento feito com base nos últimos volumes registrados em açudes localizados na Paraíba mostra que o estado começou o ano de 2020 com um açude sangrando e outros 33 em situação crítica, com menos de 5% da capacidade total. Os dados são da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), responsável pelo monitoramento de 134 reservatórios.

Ainda conforme os volumes extraídos do site da instituição na quinta-feira (2), o único manancial paraibano que está sangrando é o São José II, localizado em Monteiro, no Cariri do estado. O reservatório possui capacidade para 1.311.540 m³ de água e conta com 1.311.540 m³.

Previsão para primeiro trimestre de 2020 favorece ocorrência de chuvas
A previsão do tempo para o primeiro trimestre de 2020 favorece a ocorrência de chuvas, na Paraíba. A informação é da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa). As chuvas devem acontecer dentro da média histórica no semiárido paraibano, que contempla as regiões do Alto Sertão, Sertão e Cariri/Curimataú, entre os meses de janeiro e março de 2020.

De acordo com a meteorologista Marle Bandeira, o fenômeno El Niño, que provoca alteração significativas na distribuição da temperatura, com grande alterações no clima, não deve ocorrer. O fenômeno La Ninã também não está previsto.

Do G1 Paraíba