Foto: Divulgação/Polícia Militar

Sem acordo com o Governo do Estado para concessão de um maior percentual de reajuste em seus salários, as polícias da Paraíba decidiram fechar delegacias e continuar
com uma “operação padrão”. Uma Assembleia Geral Unificada foi convocada para esta quarta-feira (19), com todos os policiais civis, militares e bombeiros.

Em nota, divulgada nessa terça-feira (18), o Fórum dos Servidores das Entidades das Polícias Civil, Militar e Bombeiros, argumentou que há 10 meses tenta dialogar com o Governo. As atividades dos servidores da segurança serão suspensas pelo período de 12 horas e serão mantidos apenas os atendimentos de urgência.

O Fórum acrescenta que o governador pediu que o prazo para emitir resposta à proposta
das entidades fosse prorrogado para o próximo dia 21, descumprindo acordo que previa
uma resposta para ontem.

“Diante de tais dificuldades, em face do não cumprimento do prazo acordado para uma
resposta do Governo, demonstrando sua total insatisfação com a centralização das
negociações na Secretaria da Fazenda e dando cumprimento ao que já foi deliberado em
assembleia”, justificam as entidades.

“É importante que o Estado entenda que a vida dos policiais deve ser prioridade não
apenas nas propagandas institucionais, mas também no reconhecimento salarial e uma aposentadoria digna”, diz trecho da nota. Como protesto, os policiais civis garantirão o funcionamento das delegacias apenas até as 12h. Após esse horário, o registros deverão ser feitos na Central de Flagrantes.

Além disso, os policiais militares foram orientados a sair do plantão extra e manter a
operação padrão.

Com MaisPB