Conflitos armados, como o que está acontecendo entre israelenses e palestinos nas últimas semanas, sempre rendem fotos impressionantes. Tristes, mas impressionantes.

A imagem abaixo, registrada por Ana Baba (Getty Images/Reprodução) é um exemplo disso. Ela mostra o Domo de Ferro, sistema de defesa contra mísseis de Israel, em ação. De um lado, é possível ver os mísseis disparados pela milícia palestina Hamas contra o território israelense. Do outro, os foguetes interceptadores de Israel se preparando para destruir as armas inimigas. Em conjunto, uma explosão de luzes no céu.

Imagem: Ana Baba/Getty Images via G1Imagem: Ana Baba/Getty Images via G1

Além disso, em 16 de maio, a rede de TV americana Fox News fazia uma transmissão ao vivo quando o sistema foi acionado. É possível ver o foguete israelense levantando voo e cruzando com o míssil palestino, destruindo-o em pleno ar. O repórter Trey Yingst, que estava no local, publicou o vídeo em seu perfil no Twitter.

Mas como funciona o Domo de Ferro de Israel?

O sistema antimísseis de Israel foi projetado pela empresa Rafael Advanced Defense Systems LTD, com financiamento dos Estados Unidos. Sua primeira versão começou a trabalhar em 2011, com o objetivo de detectar, interceptar e destruir bombas inimigas.

Há cerca de dez unidades do Domo de Ferro por Israel, cada uma capaz de proteger uma área de cerca de 150 quilômetros quadrados. Cada unidade pode ser dividida em três partes essenciais: um sistema que detecta as ameaças, outro para o controle de armas e a unidade de disparo de mísseis.

Então, o Domo de Ferro primeiro rastreia os mísseis inimigos por meio de radares, similares aos usados por aviões de caça modernos. Nesse momento, ele projeta a rota dos mísseis e calcula se eles vão cair em uma área com população civil. A partir disso, o Domo de Ferro decide quais mísseis ele vai interceptar.

Disparos com moderação

Cada unidade do Domo de Ferro possui entre 60 e 80 foguetes interceptadores. Além disso, cada disparo do sistema custa milhares de dólares. Então, para não gastar foguetes desnecessariamente, o Domo de Ferro é programado para abater apenas os mísseis que podem atingir alvos importantes — como áreas com população civil ou bases militares. Caso contrário, o sistema não é acionado.

Se o míssil inimigo é percebido pelo sistema como uma ameaça real, um foguete é lançado pelo Domo de Ferro e destrói a ameaça ainda no ar, com uma explosão, como podemos observar no vídeo da Fox News. A interceptação acontece entre 15 e 90 segundos. A taxa de acertos do Domo de Ferro é de mais de 90%.

Imagem: Popular Mechanics/ReproduçãoImagem: Popular Mechanics/Reprodução

90% de 2000 é o bastante?

O Domo de Ferro é impressionante, mas pode não ser capaz de evitar todas os ataques. Isso porque, de acordo com o jornal The New York Times, Israel recebeu mais de 1800 mísseis apenas nos três primeiros dias do novo conflito.

Mesmo que somente 10% deles atinja o alvo, já são 180 possíveis explosões e muitos mortos e feridos. Por isso, o exército israelense também utiliza outras táticas para neutralizar as ameaças, como mapear e destruir as bases de lançamentos de mísseis antes mesmo que elas possam ser usadas.

mais recente onda de violência entre israelenses e palestinos começou em maio de 2021, após confrontos entre a polícia de Israel e grupos árabes em uma mesquita de Jerusalém. Trata-se de um novo capítulo em uma guerra que já se arrasta por décadas. Em pouco mais de uma semana, a disputa já deixou mais de 200 mortos. A maioria é de palestinos que vivem na Faixa de Gaza.

ManchetePB com Megacurioso