dunga
Declaração foi dada pelo técnico Dunga (Foto: Divulgação)

A saída de Neymar da concentração ocorreu para o bem da seleção, ao menos na visão do técnico Dunga. Em sua primeira fala sobre o ocorrido, o treinador do Brasil fez questão de tratar o assunto como passado.

“Nós conversamos e tomamos a decisão sobre o que é melhor para a seleção brasileira. Esse é um capítulo à parte, já superado e agora temos que pensar somente no Paraguai”, disse Dunga, na última entrevista coletiva antes do duelo contra o Paraguai, neste sábado, às 18h30, pelas quartas da Copa América.

Neymar levou quatro jogos de gancho pela confusão que protagonizou na partida contra a Colômbia, pela segunda rodada. Em um primeiro momento, o camisa 10 e capitão acompanhou o grupo e dava sinais de permaneceria no Chile. Quando a CBF desistiu de recorrer da decisão inicial, porém, ele deixou a concentração.

Agora, as confusões dentro de campo voltam a ser tema na Copa América. O chileno Gonzalo Jara, que provocou a expulsão de Edinson Cavani com uma “mão-boba”, será julgado pela Conmebol e pode até ser excluído do torneio. Questionado sobre o assunto, Dunga foi lacônico.

“Catimba não me preocupa. Assim como a Conmebol foi rígida com Neymar, esperamos que seja rígida com todos. Deixe que a Conmebol resolva isso”, disse Dunga.

Veja os principais trechos da entrevista de Dunga:

Nível técnico da seleção é ruim?
“Opinião é livre e cada um diz o que bem entende. Só uma coisa que eu gostaria de ressaltar… O Brasil ficou 40 anos sem ganhar uma Copa América tendo jogadores excepcionais. Jogadores geniais, elencos muito bons. E nós também vamos enfrentar as mesmas dificuldades da época. É algo muito pegado, disputado. Não é fácil”

Saída de Neymar
“Nós conversamos e tomamos a decisão sobre o que é melhor para a seleção brasileira. Esse é um capítulo à parte, já superado e agora temos que pensar somente no Paraguai”

Mudanças na escalação
“Em todas as partidas no futebol é importante ter uma boa estatura e isso acaba dando uma vantagem ou outra. É uma soma de vários elementos. Fizemos os treinamentos pensando principalmente em como a seleção joga. E depois respeitando os adversários”

Treino fechado
“Não é questão de esconder, é só ter mais privacidade, não ter tanta confusão em campo. Nós tentamos evoluir e não repetir os erros que vocês mesmo nos alertaram em outras ocasiões”

Dunga mudou desde 2010?
“Creio que a gente tem uma evolução a cada dia. Passando quatro anos, é lógico que mudei muito. Menos mal. Vi certas coisas você não vai mudar na pessoa. É inútil debater argumentos. Você tem de focar mais em trabalho. As outras coisas à parte não me importam muito”

Comparação da pressão em 1994 com agora
“Simples. Nós éramos ruins com sorte, os outros eram bons com azar. Aquela seleção tinha uma cobrança de 40 anos sem Copa América e 24 anos sem uma Copa do Mundo. Eu até acho que eu sou afrodescendente de tanto que apanhei e gosto de apanhar. Os caras olham para mim: ‘Vamos bater nesse aí’. E começam a me bater, sem noção, sem nada. ‘Não gosto dele’ e começam a me bater”

Do Uol