Zenóbio Toscano é homenageado no 3º Festival Internacional de Arte NAIF, em Guarabira.

É dispensável neste momento falar da trajetória política bem sucedida de Zenóbio Toscano de Oliveira, ora como deputado estadual, ora como prefeito. No entanto, alguns elementos constitutivos de sua personalidade, de sua formação acadêmica e encantamento pela arte e educação, se somarão as ações do homem político, indubitavelmente. Foi um homem sempre focado em ações, obras e prestação de serviços que pudesse fazer de Guarabira – uma de suas grandes paixões – cidade progressista e de respeito no cenário político administrativo paraibano.

Tornou-se prefeito de Guarabira em 1982, após realizar uma campanha participativa e criativa, envolvendo parte da juventude neste momento político. Durante a campanha eleitoral trouxe para as ruas novas formas de conquistar o eleitor, expondo bonecos e animais gigantes, músicas e jingles atrativos. Foram seis anos (1983/1988) de atividades intensas, calçando ruas, reestruturando procedimentos administrativos, realizando o abastecimento de água, energizando comunidades rurais e inúmeras outras ações.

Contudo, foi inegavelmente nos campos da educação e da cultura em que Zenóbio realizou um trabalho inovador, edificando escolas, criando cursos e fomentando as manifestações artísticas e culturais. De modo surpreendente para todos, criou em 1984 a Secretaria Municipal de Cultura, através da Lei Municipal 63/84 de 15.06.1984, sendo uma das primeiras do Brasil. Transformou um antigo cinema da cidade em teatro, as casas de arquiteturas históricas foram transformadas em espaços culturais como o Centro de Documentação – CEDOC, o Museu de Arte Sacra, o Memorial do Cordel e o Casarão da Cultura, além do Museu de Arte Naif.

No campo das artes visuais, construiu a Galeria de Artes “Antônio Sobreira”, pois acreditava no potencial deste gênero artístico. Foi aqui que conheceu Alexandre Filho, um dos mestres da pintura naif brasileira, de quem comprou vários trabalhos, tanto para sua coleção pessoal, quanto para o acervo da nossa galeria pública. Foram incontáveis as exposições realizadas em nossa galeria, sempre com o objetivo de mostrar a beleza expressada pelos artistas paraibanos, além de estimular os artistas da casa. Desta prática surgiram nomes como Clóvis Junior, Adriano Dias, José Welington, Alighieri Damião, Marcos Lira, Elias dos Santos , Afrânio Targino e Gilvan Domingos.

Zenóbio foi muito mais do que um colecionador de obras de arte. Dentro do seu jeito tímido e precavido, nunca expressava seu pensamento no primeiro momento, sempre observando, abstraindo através do olhar os conhecimentos necessários para um possível questionamento. Amou as manifestações culturais, assim como amou Guarabira em suas variações. Por esse amor explícito a Guarabira e a cultura, aqui realizou festival de violeiros, de teatro nordestino, carnaval de rua e belíssimas festas de padroeiro.

A realização do Festival Internacional de Arte Naif – FIAN em Guarabira a partir de 2018, foi uma ação que muito marcou a existência do homem e do político Zenóbio Toscano. Primeiro ampliando seu conceito de que, continua sendo possível se comunicar com a espécie humana através das artes, segundo por levar o nome de Guarabira ao Brasil, através de expressivos artistas naifs que aqui estiveram. O FIAN e os artistas naifs do Brasil prestam neste momento turbulento de nossas vidas uma grande e valiosa homenagem, dedicando a edição 2021 deste festival ao homem e ativista cultural Zenóbio Toscano.

Para quem acompanhou a vida pública de Zenóbio, deu para perceber facilmente que no mesmo homem de ações firmes e decisivas, existia também a sensibilidade e o gosto pela arte e, em decorrência desse olhar atento, deixou em Guarabira um rico legado cultural.

Por Percinaldo Toscano
Graduado em História e Professor.