Segundo a OMS, a cada ano cerca de 1,4 milhões de mulheres vivendo com HIV ficam grávidas no mundo
Segundo a OMS, a cada ano cerca de 1,4 milhões de mulheres vivendo com HIV ficam grávidas no mundo

Cuba se tornou o primeiro país do mundo a receber a validação da Organização Mundial de Saúde (OMS) de que eliminou a transmissão de mãe para filho de HIV e sífilis.

“Isso mostra que é possível acabar com o fim da epidemia da AIDS”, celebrou Michel Sidibé, diretor executivo da UNAIDS. “Esperamos que Cuba seja o primeiro de muitos países a conseguir essa validação.”

Segundo a OMS, em 2013, apenas dois bebês nasceram com HIV em Cuba, enquanto apenas três nasceram com sífilis congênita. Os números estão bem abaixo do estabelecido pela organização para conceder a validação.

Anguila, Barbados, Canadá, Estados Unidos, Montserrat e Porto Rico também têm condições de solicitar a validação de eliminação da transmissão de mãe para filho de HIV e sífilis.

Mais oito países podem solicitar a validação de eliminação para transmissão de HIV e quatorze outros países têm condições de fazer a solicitação de eliminação para transmissão de sífilis congênita.

Ainda de acordo com a OMS, desde 2009 o número de crianças que nasceram com HIV caiu quase pela metade: de 400 mil (2009) para 240 mil (2013). Ainda assim, cerca de 1,4 milhões de mulheres infectadas com o vírus ficam grávidas no mundo. Se não receberam tratamento adequado, elas têm chances de 45% de transmitir o vírus para seus herdeiros.

Do Band.com.br