Em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, afirmou neste domingo (26) que as escolas do país serão reabertas no mês de setembro. De acordo com o premier italiano, as instituições de ensino estão no “centro dos pensamentos”.

“As escolas estão no centro de nossos pensamentos e serão reabertas em setembro. A ministra da Educação, Lucia Azzolina, está trabalhando para permitir que os exames estaduais ocorram em uma conferência pessoal, em condições seguras”, declarou Conte em uma entrevista ao jornal “La Repubblica”.

Desde o dia 10 de março, a Itália vive um “lockdown” em todo o país e que proíbe qualquer tipo de atividade pública por conta da aglomeração. No entanto, a partir de 4 de maio, haverá a chamada “fase dois” do combate à pandemia, com a flexibilização de parte das normas de restrição.

Sobre a “fase dois”, Conte afirmou que está “trabalhando para permitir o reinício da maioria das empresas”, mas advertiu que “ainda não está em condições de restaurar a total liberdade de movimento”. O premier também destacou que não será um “todo mundo livre”.

“Estamos trabalhando para permitir o reinício de uma grande parte das empresas, desde fábricas até obras em 4 de maio. Não podemos continuar além desse bloqueio: corremos o risco de prejudicar muito o tecido socioeconômico do país”, explicou Conte.

Neste domingo (26), Conte participou de uma reunião no Palazzo Chigi, sede do governo italiano, onde o tema principal foi a definição das medidas para a “fase dois”.

Entre as regiões, a Lombardia deverá reabrir os mercados, desde que os clientes e vendedores usem luvas, máscaras e respeitem o distanciamento social. Em Friuli Veneza Giulia, algumas restrições deverão ser aliviadas a partir desta segunda-feira (27).

Da Agência Ansa