Mais de R$ 100 mil foram apreendidos por crimes eleitorais na Paraíba, neste domingo (15), durante o primeiro turno das Eleições de 2020. Segundo a Polícia Militar, ao todo, 159 pessoas foram conduzidas até as delegacias da Polícia Federal ou Polícia Civil. Destes, 24 eram candidatos.

A Polícia Federal atendeu 27 ocorrências durante as eleições. Durante essas eleições, só houve um flagrante feito pela PF, por compra de votos em Patos. De acordo com o superintendente da Polícia Federal, Gustavo Souza, polícia esteve em 30 cidades da Paraíba e as ocorrências mais comuns registradas foram compra de votos, propaganda irregular e transporte irregular de eleitores.

Ao todo, foram 18 registros de fato no estado – uma coleta informações de notícias de crimes, mas que não há elementos para uma prisão em flagrante. Neste casos, o superintendente diz que o material é apreendido e levado para investigação.

Também foram apreendidas 17 armas de fogo no período e 70 veículos, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal. Propaganda irregular (boca de urna), compra de voto e desobediência à regras da justiça eleitoral foram as ocorrências mais comuns. Além disso, 419 denúncias de crimes eleitorais verificadas pela PM.

Foram 1.479 veículos fiscalizados em todo o estado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). 12 acidentes foram registrados, com 13 pessoas feridas, sendo três com gravidade e duas mortes. Ao todo, 11 pessoas foram flagradas dirigindo sob efeito de álcool e foram autuadas 898 infrações diversas. A PRF também recolheu 48 veículos por irregularidades.

Em Patos, ocorreu um deles. Um homem foi preso por transporte irregular de eleitores durante trajeto para o município de Olho D´Água, conforme informações da PRF. A Justiça Eleitoral foi acionada para decidir pela manutenção da prisão ou liberdade do suspeito. Na maioria dos casos, se responde em liberdade, segundo Gustavo.

Outro registro de transporte irregular ocorreu com eleitores que saíram da cidade de São Mamede para o município de Malta e também estavam sendo transportados de forma irregular, de acordo com a PRF.

Com G1PB